EEB Maria Correa Saad

Artigo 11 -14 anos

PARALELOS, CICLOS E ALGUMAS SOLUÇÕES

“Acreditamos que as soluções para problemas ambientais podem ser realizadas em pequenos atos individuais e coletivos.” Thiago de Melo Rocha, fundador da Re-ciclo – Compostagem Urbana //re-ciclo.net/site/

“Porto Alegre e Garopaba são duas cidades paralelas em um país chamado carinhosamente de Brasil. Porto Alegre é uma grande metrópole, lar de milhões de pessoas e capital de seu estado, Rio Grande do Sul. Já Garopaba é uma pequena cidade no litoral de Santa Catarina, conhecida como capital do surf, famosa por suas praias e belezas naturais.

Ambas possuem casas, mas principalmente, ambas possuem mercados, onde se vende um alimento maravilhoso intitulado de banana.

Dona Marta mora em Porto Alegre. Tem 37 anos, duas filhas e um emprego para garantir comida a todos, mesmo assim vai às compras duas vezes na semana. Gilberto, tem 53 anos, é pai de família e mora em Garopaba, tem um filho e está casado com sua segunda esposa a mais de 10 anos; tal como Marta ele passa no mercado semanalmente.

Chega terça feira, e curiosamente ambos vão ao mercado. Marta, cedo da manhã e Gilberto no pôr do sol. Ela acorda e vai ao Zaffari (Grande mercado de Porto Alegre), compra arroz, feijão, pão, espinafre, maçã e banana. Ele sai do trabalho e passa rapidamente no mercado para comprar o que falta em casa, entra no Silveira (Mercado local) e compra: pão, macarrão, laranja, farinha e banana. Ela pede para a filha mais velha ir buscá-la de carro enquanto ele próprio dirige o seu de volta para casa.

Após uma semana toda a banana é consumida na casa de Marta, já na de Gilberto acaba por estragar.

E nesse momento vê-se a diferença entre os paralelos brasileiros. Gilberto separa seu lixo, principalmente por influência de sua mulher, e o coloca no caminhão de lixo da prefeitura de Garopaba. Marta também separa seu lixo, mas coloca a parte orgânica num balde especial oferecido pela Re-ciclo por 45 reais mensais;

A banana de Garopaba é levada para o aterro sanitário onde acaba se transformando em gás metano, poluidor da atmosfera, e chorume, um líquido que penetra e polui o solo. Já a banana de Porto Alegre será coletada pelos membros da Re-ciclo e levadas para um pátio de compostagem, resultando em adubo.

“Re-ciclo: empresa não-governamental de Porto Alegre, que coleta de resíduos orgânicos, de porta em porta, por meio de bikes, com o propósito de dar um destino adequado e sustentável aos mesmos.”

Compostagem: processo natural em que os micro-organismos, como fungos e bactérias, são responsáveis pela degradação de matéria orgânica.”

Fertilizantes ou adubos (sintéticos ou orgânicos): qualquer tipo de substância aplicada ao solo ou tecidos vegetais para gerar um ou mais nutrientes essenciais ao crescimento das plantas. Aplicados na agricultura com o propósito de melhorar as colheitas.

Então o lixo orgânico é diferente da compostagem?

“Lixo: qualquer material sem valor ou utilidade, detrito oriundo de trabalhos domésticos, industriais etc. Que se joga fora.”

“Orgânico: inerente ou particular aos organismos e seres vivos. Feito a partir de dejetos (animal ou vegetal).”

 Ambos os paralelos ilustram o caminho que seguem os resíduos orgânicos, mostrando que o processo de decomposição se difere no tempo e espaço.

Mas por que?

O resíduo orgânico é a banana, ou seus restos, que saem das casas de Gilberto e Marta. Esse é o começo. Os resíduos levados ao aterro sanitário sofrem processo de putrefação, geram problemas. São lixo. Já os resíduos destinados ao pátio de compostagem, sofrem processo de transformação da matéria, resultando em adubo. Esse processo representa o meio. O último destino do adubo é a terra. Mas não entre na ilusão de que este é o fim, pois como dizia Antoine Lavoisier: “nada se perde, nada se cria, tudo se transforma”.

Um pouco da história de Thiago e da Re-ciclo

2012: Thiago de Melo Rocha era um jovem universitário quando começou a se perguntar sobre os problemas ambientais. Dando início a diversas pesquisas sobre mudanças climáticas, sustentabilidade e assuntos relacionados.

2016: Primeiras divulgações da Re-ciclo.

2017/2018: Hoje atuando em 23 bairros, contando com mais de 150 clientes eles já ultrapassam a marca de 16 toneladas de resíduos coletados. Desejando expandir as áreas de atuação, aperfeiçoando cada vez mais o atendimento e aplicando tecnologias para otimizar o processo de compostagem e logística a Re-ciclo espera tornar as cidades mais sustentáveis e limpas o possível.

Mas o que a Re-ciclo tem a ver com tudo aquilo que foi dito acima?

Os homens são os criadores de espaço, os apreciadores de paisagens e aqueles que mais mudam o planeta, dias para melhor, dias para pior. Na atualidade, porém, eles normalmente usam seus “poderes” para destruir seu próprio lar.

Através da palavra lixo, utilizam recursos da natureza e os descartam sem ao menos perceber que no meio ambiente essa palavra não existe, pois tudo tem sua finalidade, sua importância.

A sociedade então decidiu não mais viver de acordo com as ordens naturais, criam, jogam fora, criam, jogam foram, presos nas mesmas ações. É função do homem cuidar do seu lar, assim como limpam sua casa, e nessa estabelecem ordens e regras.

Todos deveriam ajudar a quebrar aquele ciclo dito acima, nem que seja separando o lixo. Mas mesmo Gilberto fazendo sua parte, a casca da banana que foi no seu lixo orgânico se transformou em algo ruim, destruidor, e é por isso que a Re-ciclo é tão importante para todos.

Ela faz o serviço social final, é aquela que faz ponte no ciclo natural das coisas, e são com serviços como o que ela traz (compostagem urbana) que muitas coisas podem melhorar. Garopaba espera por algo assim.

Turma: 8° Ano

AUTORES:

LARISSA G. ROSA
LETICIA GARDASZ
ALICIA LUISA F. R.
NATHALIA CARPES